Siga-nos por email

segunda-feira, janeiro 16, 2012

SISTEMA DE TRAVAGEM REGENERATIVA

Travagem regenerativa, ter ou não ter, eis a questão! 
O que é? Como é acionada? Quais as suas vantagens? Cuidados a ter na sua utilização? Deverá ser considerada na compra de uma scooter elétrica? Muitas questões ou dúvidas são levantadas quando se fala de travagem regenerativa. O Scooters Elétricas foi à procura de respostas e deixa aqui alguma informação útil que o poderá esclarecer sobre o tema e, ajudá-lo a tomar a decisão sobre se deve ou não optar por uma scooter elétrica que venha equipada com a tecnologia de travagem regenerativa.



O QUE É, E COMO FUNCIONA 

A travagem regenerativa é um mecanismo que transforma a energia cinética, obtida através do movimento do motor durante o período da travagem ou desaceleração, em energia elétrica. Quanto maior a velocidade, maior a distância necessária para imobilizar o veículo e, por isso, conseguem-se obter ganhos de energia maiores. Assim, quanto maior for a intensidade da travagem, maior a intensidade de corrente, logo, maior a capacidade de gerar e armazenar energia para posterior aproveitamento.
De forma simplificada, podemos dizer que se uma viagem for realizada em estradas planas a uma velocidade constante, o sistema de travagem regenerativa não vai permitir gerar energia extra e, por isso, tem pouco interesse. No entanto, se o terreno for irregular, o sistema vai permitir gerar energia durante as descidas, que poderá ser utilizada para fazer face às subidas. 

VANTAGENS 
  • Maior autonomia: segundo informação de algumas marcas e com base nos testemunhos de alguns utilizadores de scooters elétricas com sistema de travagem de regenerativa, chegamos à conclusão que os ganhos de energia/autonomia situam-se no intervalo de 5 a 10%. Não são valores expressivos, no entanto, não deverão ser menosprezados, pois, em situações de "aperto", uns quilómetros a mais de autonomia podem ser fundamentais; 
  • Redução dos custos de manutenção: outra vantagem está relacionada com a possibilidade de reduzirmos a utilização dos travões e, por isso, conseguirmos alguma poupança nos custos de manutenção, devido ao menor desgaste dos travões;
  • Melhor performance: quando a travagem regenerativa é bem utilizada a scooter parece que tem mais "força", isto é, responde melhor quando rodamos o punho e aceleramos. Importa referir que estamos perante um ponto que não é consensual, mas, uma coisa é certa, o Scooters Elétricas recolheu testemunhos favoráveis de condutores que “sentem” maior vivacidade na aceleração quando a travagem regenerativa funciona.

CUIDADOS A TER NA SUA UTILIZAÇÃO

Convém realçar que apesar de a travagem regenerativa permitir desacelerar ou até mesmo parar o veículo, a sua utilização não substitui os travões convencionais.

Existem scooters elétricas em que o processo de utilização e gestão da travagem regenerativa é relativamente simples e automatizado (exemplo: na Maxi Scooter Vectrix basta rodar o punho em sentido inverso ao de aceleração), funcionado como um auxílio à travagem convencional e, por isso, o condutor não tem necessidade de se preocupar com a sua ativação.
Nas scooters elétricas em que o condutor para ativar a travagem regenerativa precisa de pressionar um botão, por exemplo, é importante ter algum cuidado. Nestas circunstâncias, a travagem regenerativa só deverá ser utilizada em situações que podemos classificar de "controladas", isto é, em que conseguimos antecipar as manobras e os tempos necessários à desaceleração ou travagem do veículo.

Independentemente do sistema utilizado, para tirar partido da travagem regenerativa deverá adotar uma condução moderada e preventiva, pois, se for um “acelera”, o recurso à travagem convencional vai ser dominante, em detrimento da travagem regenerativa.

CONCLUSÃO

Atualmente, apesar de não ser fundamental que uma scooter elétrica venha equipada com a tecnologia de travagem regenerativa, recomenda-se que a tenha, pois, se lhe for dada uma correta utilização permitirá obter ganhos de autonomia e performance (pelo menos em algumas scooters), e redução nos custos de manutenção/substituição dos travões.
É claro que se os percursos incluírem longas descidas, o sistema de travagem regenerativa poderá tornar-se um companheiro ideal nas suas viagens.


Por fim, reforce-se a ideia de que as scooters elétricas são veículos ecológicos, limpos, económicos, e se ainda acrescentarmos esta capacidade de gerar energia através da travagem, bem, só podemos dizer que estes veículos estão no caminho certo, que vai dar a um futuro mais sustentável para todos nós.

0 comentários: